Preocupado com desafios perigosos como o do Momo e da Baleia Azul? Saiba como usar a internet para o bem e estimular a aprendizagem do seu filho

O desafio da boneca Momo, que viralizou em redes sociais no final de 2018, trouxe a pais, professores e sociedade em geral, a péssima lembrança de outro fenômeno desse tipo: a baleia azul, que fez vítimas no mundo por meio de uma sequência de desafios cujo resultado final poderia levar as crianças e os adolescentes ao suicídio.

Diante de situações como essas, é natural que os pais se sintam atemorizados pela ideia de deixar seus filhos usarem a internet. Mas é necessário que haja equilíbrio nessa relação. Evitar completamente o acesso à web pode até deixar as crianças imunes a desafios como o da Momo, entretanto, por outro lado, significa abrir mão de uma das mais poderosas ferramentas de aprendizado já inventadas.

Nesse caso, a melhor solução é a apontada por especialistas: acompanhamento. Neste texto, vamos mostrar como usar a internet para o bem e em favor da aprendizagem de seu filho, além de driblar as armadilhas perigosas da rede.

  1. Estabelecendo controles

A primeira preocupação deve ser a de estabelecer regras e limites para o uso da internet por crianças e adolescentes. Ter a clareza do tempo empregado e de que tipo de atividades podem ser desempenhadas, por meio de uma programação, é a melhor maneira de combinar disciplina ao aproveitamento de tudo que a web pode oferecer.

  1. Investindo no diálogo e na transparência

Situações como as da boneca Momo e do jogo da Baleia Azul devem servir como ponto de partida para conversas transparentes e instrutivas. Precisa ficar claro para as crianças que esses conteúdos devem ser evitados e que qualquer problema que surja será resolvido com ajuda de pais e professores. Nesse processo, estabelecer combinados, escutar o que eles têm a dizer e cumprir promessas são condições fundamentais para ganhar a confiança.

  1. Reforçando o lado bom

A internet está cheia de coisas legais e interessantes. Há sites, perfis de Twitter e de Facebook, instagrammers e youtubers produzindo conteúdo de qualidade e interessante. Alguns deles são diretamente voltados para crianças e adolescentes, outros para os pais. Outros perfis e comunidades, como a Criança e Museu, no Facebook, reúnem dicas sobre como ensinar os filhos, no mudo real e também no virtual.

  1. Abrace a multimídia e os jogos

O uso de vídeos, gifs, áudios e outros estímulos é regra na internet voltada para crianças e adolescentes, assim como o gamificação, isto é, transformar a fidelidade a um site ou produtor de conteúdo em uma brincadeira em que ações valem pontos. Essas técnicas atraem muito a atenção desse público e vale a pena fazer um esforço para mapear bons conteúdos que aproveitem bem esses recursos.

Percebeu como a preocupação com a boneca Momo e a Baleia Azul podem ser o ponto de partida para encontrar formas positivas de usar a internet para reforçar o aprendizado do seu filho?  E não para por aí. Existem muitos desafios do bem que podem estimular o desenvolvimento de crianças e jovens. E foi justamente um desafio na internet que mudou a vida de João Gabriel e inspirou sua mãe, Sofia Fada, a fundar a Kriativar. Encontre outras dicas e saiba mais sobre a nossa história no blog

Facebook Comments

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar